20 de mar de 2016

Por um Brasil com identidade - por Miliane Tahira


O que vejo ser deflagrado com a crise atual em que estamos acometidos é AINDA um país sem Identidade.
Com as diretas e a democracia o país teve uma grande abertura de possibilidade conquistada com toda uma Mobilização Popular.
E antes disso o cenário do Brasil era marcado por torturas, tirania, perversões das mais diversas ordens e abuso ostensivo de poder!!!!!
Não se tinha acesso a investigações de Lava Jato ou qualquer outro nome porque NÃO HAVIA INVESTIGAÇÃO CONTRA O GOVERNO!!!!
Ao contrário existia uma investigação, ou não, uma automática punição a quem se opunha contra ele de forma clara ou velada.
Sim meus caros amigos, a democracia e transparência deixa as feridas do nosso país, antes suturadas a mostra!!!!!!
Começamos de forma equivocada quando atribuímos o "nascimento" do Brasil a "descoberta" dos Portugueses....
Começa-se um recorte contado que evidencia de quem deve ser a soberania deste país: do invasor....
O Brasil tem uma história milenar anterior a tudo isso e dizimada, mal contada, vilipendiada..
O Brasil que deveria ter outro nome pelas etnias que aqui se encontravam, viveu muitas histórias que nos chegam de forma inconsciente, pelos costumes que foram agregados no cruzamento de portugueses, indios e africanos, mas não de foram consciente de quem agrega em si uma identidade formada e firmada por escolhas!!!!
Somos filhos desta terra e dessa miscigenação, mas foi negada a história de nossos pais.... só temos um acesso direto e distorcido a história do estrangeiro que chegou dominando e impondo seus costumes de forma bárbara e arbitrária!!!
E é nesse ir e vir de ostentação perversa de poder que hoje vemos, mais uma vez, nossa república chorar!!!!
Ela chora sangue por facções diferenciadas e partidárias se renderem a esquemas para continuar ou estar governando....
Será que os fins justificam os meios?
Em nome do ódio ostentado pela mídia e veículos corrosivos e deformadores de poder e opinião - Leia-se Rede Globo - operacionaliza uma ação estratégica de manipulação de massa que deixa-se levar pela emoção e vai ao poucos relativizando a atitude da justiça em nome de Moro em que atrocidades judiciais são vistas como naturais... Para o Lava Jato, lavagem de Roupa Suja.
Ressucita-se o Código de Hamurabi - "olho por Olho, dente por dente".

O estado de exceção, que é o que vem acontecendo por meio de condução coercitiva, grampos presidenciais, venda de informações a imprensa,  pedido de prisão sem provas....

Nada justifica essas atrocidades jurídicas. Para nínguem... Para nenhum cidadão....

Não se trata aqui de defender o PT ou Lula, se trata de defender o Estado de Direito...

Que as investigações prossigam em todo seu aparato legal e que tenha todos os desdobramentos, para todos em igualdade de direito, sob as bases constitucionais!!!

Não se iludam,,,, estão tirando-nos do foco.... Enquanto estivermos sustentados pelo Sistema Presidencialista de Coalizão quem quer que entre na representação presidencial, governamental de qualquer instância executiva se tornará vulnerável aos desmandos de parlamentos, câmaras e coligações... Portanto a corrupção!!!

A única saída é ir as ruas e utilizar uma ampla manifestação popular para a reforma política, aí sim, de forma unificada... Não precisamos de uma mobilização contra o governo e outra a favor... precisamos juntar esta nação todinha em um único movimento em PROL DA NAÇÃO, em PROL do Brasil, sem dicotomias partidárias para ir de fato ao que necessitamos sarar.

Vamos juntos, Vamos todos...

Chega de ódio, minha luta é pelo amor e comunhão,

Minha Luta é pela formação Identitária do BRASIL!!!!!

Miliane Tahira.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. É por aí. Precisamos de mudança na estrutura, pois o que está sendo denunciado é a consequência, a política que se imagina poder fazer com a estrutura que se tem. Ou seja, o método é igual para todas as forças que ambicionam o poder, simplesmente porque se é empurrado para essa lógica que só interessa ao poder econômico. O absurdo, no momento, é tratar isso como se fosse uma "doença" de um partido, isentando-se todos os demais protagonistas.

    ResponderExcluir