18 de jun de 2016

Condição de Plenitude: O nada, o zero, o branco, o negro e o vazio


Condição de Plenitude: O nada, o zero, o branco, o negro e o vazio


Na nossa sociedade a cultura do ter se sobrepõe a cultura do ser
Quantos (qualquer coisa) você tem, entra na lugar da substância..
Necessidade de cores, de sons, de formas e de excesso de sabores

E a solidão persiste porque a quantidade acaba
Ilusoriamente tentam preenche-la com mais quantidades
Que acabam....

Ininterruptamente persegue-se o imperseguível
O preenchimento da insubstância do ser que não se conhece, não se vasculha, não se contém no espaço de si mesmo...

O vazio é o espaço onde todas as coisas pertencem,
O branco é a união de todas as cores
O negro a ausência de todas elas
O nada contem a presença do tudo, mas um tudo em perfeita capacidade de infinitas possibilidades

Por não ser um conjunto fechado todas estas categorias guardam um espaço de compreensão
Um espaço do não julgamento
Onde a plenitude reside
Onde a paz já se faz pronta
Posta está!

Excesso de cores polui a visão
Excesso de sons obstrui a escuta
Excesso de formas ofusca o olhar
Excesso de sabores desarmoniza o paladar..

Aprecie a serenidade das cores e não o acúmulo delas
Escute e reconheça o ritmo interno do seu coração e coloque suas mãos para materializar a vida fora de ti.
Reconheça a delicadeza das formas
A boniteza das coisas
O sabor de um patê de atum com cream craker no momento certo pode ser muito mais saboroso do que um prato feito com infinitos e sofisticados ingredientes se for feito pelas mãos certas no lugar e com a pessoa certa!

Aprender a apreciar o nada! O seu espaço interno de conciliação com seu si mesmo!

Ah, e o zero...
É o mais belo número dentre todos, pois ele representa que ali, onde aparentemente nenhuma quantidade há,
É exatamente onde tudo está aguardando para ser..

Espaço absoluto
Espaço de amor total
Espaço de comunhão
Espaço de construção
Espaço de encontro
Espaço de Oração
Espaço de infinitude
Espaço do aqui e agora
Espaço o sempre!!!!

Miliane Tahira

Nenhum comentário:

Postar um comentário