14 de ago de 2013

Refletindo sobre a Lei da Atração - por Miliane Tahira





Muitas filosofias religiosas comungam com a ideia da lei da atração em que o pensamento materializa um desejo. 
É importante compreender adequadamente esse fenômeno, pois observo muitas vezes, pessoas ficarem frustradas por querer muito algo, desejar ardentemente e se frustrar pela não concretização. Isso acontece, por confundirmos a nós mesmos com pensamentos que criamos e(re)criamos para nós, como um sintoma, ou um amigo de quem precisamos para conversar, como um aliado que tomamos de nós mesmos para acompanhar-nos na nossa solidão...
É uma identificação e não uma verdade, mas o universo que só obedece aos princípios genuínos, mesmo que no momento pareça estranho, enfadonho, ou cause qualquer tipo de sofrimento. As experiências que buscamos e vivemos servem de crescimento e quando se efetivam é para esse fim.
Montando uma atmosfera/mundo particular em que acreditamos pertencer,é, invariavelmente, uma mentira bem contada que criamos para nós mesmos, como proteção de nossas sombras, medos, infelicidade, enfim...
Precisamos identificar, sentir, transcender... perceber o que de fato é real... o que de fato é projeção, ilusão.. o cosmos costuma dar sinais evidentes do que comunga, ou não, mas a teimosia  é proporcional ao medo de encontrar com as suas mais fortes verdades, que não está no outro, mas em você..
Vejo esse processo todos os dias, na clínica, na vida...
Essa criação ilusória é um micro universo e que não faz eco com o MACRO, em realidade, o universo ecoa em sentido contrário, no sentido da verdade que é muito maior do que nossos pensamentos ilusórios, pois que revelam pensamentos/sentimentos ancestrais, verdades múltidimensionais... por isso é necessário não nos identificarmos com o que não é real, mas atingirmos a nossa essência, em busca da nossa real missão, desejo, verdade... Aí, sim.. ecoará e atrairá... O micro não deve desvirtuar-se do macro...

A lei da atração é real, mas o pensamento superficial tem que concatenar com o essencial que, no fundo, todos sabemos, mas precisamos despertar.. daí, quando algo não corrobora com esses níveis internos, é enviado com duplo sentido e não se materializa. 

Portanto, ao desejar algo e pensar insistentemente na matrerialização desse desejo pergunte-se meditativamente se isso é real e escute a natureza e os fenômenos a sua volta. Se tudo der errado... se as peças não se encaixarem, taí um bom sinal, como diria Clarice Lispector: " Tudo fala ao redor de nós, mesmo com vozes que não são humanas, mas precisamos aprender a escutar, pois revelam nosso próprio mistério". E sigamos...

Miliane Tahira

2 comentários:

  1. Lindo texto, Mili! Nos últimos tempos, passei a prestar muita atenção na minha essência e, com isso, nos sinais que a vida me dá. No fundo, sempre buscamos o que nos acontece, pois nossa vida é apenas uma consequência do que somos.
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Mari. Até as experiências mais enfadonhas são buscadas por nós mesmos quando precisamos passar por elas para o nosso crescimento. Bjcas de luz.

      Excluir