18 de jan de 2011

Atena -Estudando as Deusas Gregas e seu correspondente simbólico no inconsciente feminino

                                   Atena,
                     
                      Deusa da Sabedoria e das Artes manuais. 
                                  (Por: Miliane Tahira.).




Atena é, antes de tudo, uma Deusa relacionada à civilização, por isso esta imagem psíquica é representada por atitudes de inteligência, praticidade e extroversão.

Por ser uma faceta do feminino completamente independente, tal qual sua irmã Ártemis, ela costuma intimidar os homens. No entanto diferente desta, é atraída sobretudo pelo mundo das idéias, as discussões políticas, a justiça, do social.

Tem espírito de liderança e camaradagem sendo sempre aquela mulher que tem muitos amigos homens estando sempre disposta a trabalhar do lado dos mesmos.

Mulheres com este perfil são extremamente atraídas pelas áreas de negócios, política, direito e educação. Seu perfil bem orientado conduz a incansabilidade, coragem, lealdade, perseverança e sinceridade de propósito. Tornam-se profissionais bem sucedidas e empreendedoras.

Os homens preferidos da mulher - Atena são aqueles que têm sua feminilidade bem integrada, tornando-se companheiros leais e independentes capazes de desenvolver projetos intelectuais junto a mesma.

Mitologia e Genealogia:

Na mitologia Grega representava os mais sublimes ideais do Patriarcado, aliás, é a Deusa mais relacionada com esta instância.
Sendo a estrategista de batalhas, é a condição humana da elaboração e racionalização da emoção.

Existem vários mitos que representam seu nascimento, mas o mais conhecido é que Titã Métis (uma das deusas maternais mais antigas), ficou grávida de Zeus e este com medo de ser destronado por tal filho engoliu-a por inteiro. Daí, com o passar do tempo, uma Deusa guerreira já adulta foi tirada (soltou) da sua cabeça.

Atena foi, portanto, a única habitante do Olimpo sem uma mãe verdadeira, ficando completamente associada à sabedoria do pai.

Jung a considerou como a anima de Zeus; ou seja, a função fertilizadora que faz brotar a inteligência e conteúdos formais. A criatividade que faz emergir e solidificar tais conteúdos.


Atena aparece como uma função extremamente racional e necessária para a espécie humana, mas sua dificuldade está, muitas vezes, na negação do seu corpo, sua sexualidade.

Por sua excessiva identificação com o pai, mulheres com este arquétipo tendem a trancar os aspectos sensuais da sua feminilidade, muitas vezes sufocando-os. Como se temessem a perda da razão, preferem “sentir” com a mente e as palavras, afastando-se de suas emoções.

Assim percebemos mais uma vez que nenhuma Deusa sobrevive sozinha dentro de nós, Atena desafroiditizada negaria à mulher todo seu potencial de amor e transformação...

Sem o acolhimento de Demeter, levaria a ideais vazios...



SEM A COMPREENSÃO DE QUE AS DEUSAS VIVEM EM CONJUNTO EXPORÍAMOS O NOSSO UNIVERSO A UMA VISÃO ESTÁTICA E UNILATERAL DO MUNDO!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário